Dia da Mulher

O DIA DA MULHER SERÁ QUE OS HOMENS SABEM COMO É?

O dia da mulher é normalmente longo, cansativo, cheio de temores e de
questionamentos. A ansiedade e a expectativa fazem parte do dia a dia da mulher.
Os homens não param para avaliar a jornada de trabalho da mulher e muito
menos as características peculiares do emprego de tempo, da organização e
administração da casa, das coisas e da vida delas e dos filhos, maridos,
namorados, chefes, colegas, subalternos e tantos outros que cruzam seus
caminhos.
O dia da mulher nas crônicas sociais das “socialites”, com o glamour dos
estilistas e a produção estética cinematográfica dos maquiadores, é apenas uma
aparência frívola do “ ” paulistano e carioca, como apresentado por
“ ”, numa rede de televisão e é inatingível, e não desejável à
maioria absolutas das mulheres.
O dia a dia da mulher, no mundo todo, é de trabalho intenso, de
estresses e lutas a cada instante e constantemente de frustrações e até mesmo de
medo. O fato de a mulher ter adquirido notoriedade e poder em várias áreas da
Sociedade é devido ao esforço, capacidade, autoridade e inteligência própria
devido ao grande amor de Deus para com a Mulher, sempre dignificada pelas
Escrituras Sagradas.
O dia a dia precisa, também, ser visto nas crônicas policiais. Em pleno
século 21 há uma grande desigualdade salarial, um preconceito enorme e uma
incompreensão absurda. Muitos homens se achando “donos” das mulheres, por
isso, as agride com palavras, gestos e atitudes. O número crescente de estupros,
uma das mais animalescas, grotescas e asquerosas formas de violência, cresce em
centros urbanos e nos pequenos e distantes aglomerados.
Acho poética e justa a idéia de um dia especial para as mulheres. Mas,
Dia da Mulher, é todo dia. E todo dia o homem, seja marido, pai, filho, irmão,
padrasto, amigo, namorado, chefe, subalterno, professor, aluno, colega, ou
apenas alguém presente em qualquer lugar, deve, sobretudo, RESPEITAR a
mulher ao seu lado.
Atitudes inconvenientes, de aproveitadores que vêem a mulher como
escrava, objeto ou simplesmente um corpo bonito e prazeroso, subestimando seu
valor de Pessoa Humana criada por Deus e valorizada por Ele, essas atitudes, e até
mesmo a idéia, precisam ser banidas da mente e coração.
Homem de bem, é companheiro, parceiro, participante e cooperador
das mulheres, respeitando-as e dando-lhes o devido valor. Que cada homem saiba
dar valor ao dia a dia da mulher
“Todavia, no Senhor, nem a mulher é independente do homem, nem o homem é
independente da mulher. pois, assim como a mulher veio do homem, assim também o
homem nasce da mulher, mas tudo vem de Deus”. (1 Coríntios 11:11-12)

Pr. Paulo Roberto Sória

Posts Relacionados

Sem comentarios.

Deixe seu comentario